sexta-feira, julho 27, 2007

sete de setenta e sete

Não foi acaso que escolhi o 20-sete do sete de 2000-sete para, a desafio da arco-íris mais sua vizinhança, contar as 7 maravilhas do meu mundo e os 7 factos casuais da minha vida.

As sete maravilhas do meu mundo:

- o Mar e quase que arrisco que é maravilha para muitos mais. Gosto porque sim, ponto final. Quando se gosta consegue-se lá explicar? Seja a que hora for nunca se deixa adormecer, estranha vida que não descansa um segundo e nos tenta embalar na espuma. Pelo perfume, pelo sal, pela força que ora me leva e traz, pela paz d’alma quando falo com ele (bom ouvinte que bons conselhos me dá) e por não ter principio nem fim…
- um abraço, daqueles que nos colam o peito e nós sentir cúmplices;
- os amigos, nem sei se são muitos ou não, mas sei quem são. Aqueles com quem nem se dá pelo tempo correr e que afinal são os mais importante que a vida nos pode presentear;
- o pequeno-almoço na aldeia, depois do acordar com o cair da água no tanque.
Aquele monte em frente por onde vai espreitando devagarinho o sol da manha que quase se senta no meu banco de madeira corrido. O cheiro à terra ainda com orvalho, o silêncio interrompido por um galo que acorda…. e como sempre o pão quente com manteiga… Tudo isto que ainda me faz lembrar os fins-de-semana que em pequeno lá passava e quem em mais lado nenhum cheira igual;
- adormecer no sofá, no meu sofá. Ainda não consigo explicar o feitiço ou encanto mas sou sempre vencido. Já vou para lá resignado, como quem à partida vai à luta numa batalha perdida. Não podia ir antes para a cama, muito mais confortável? Não, claro que não, é lá que eu gosto de adormecer de pescoço torcido… Ando há mais de 2 anos a tentar ver o “Paris, Texas” e nada, nem a meio e quando acordo já me passou tudo à frente sem eu ver. Desconfio que sofro de algum caso clínico ou então é o raio do sofá…
- a minha vespa, pretinha como sempre quis. Só tem mais 10 anos que eu e manias de quem é maior de idade. Vamos sempre os dois e nunca nos zangamos, ora escolho eu, ora ela e lá vamos estrada fora… haviam de todos os companheiros de viagem ser assim;
- desculpem-me mas a minha 7ª maravilha, a que eu chamo de oitava, guardo-a só para mim, não levem a mal. Nem ela o sabe que é mas um dia eu segredo-lhe!

As sete casualidades do meu mundo:
- o à-vontade de quem se senta à mesa do café, sem rodeios e com muita gargalhada;
- o queijo em época natalícia! Adoro queijo todo o ano mas espero pelo natal para comer aqueles que cheiram mal;
- o sorriso aberto de quem não se vê há muito tempo e nos faz matar a saudade;
- a minha língua de fora e fazer caretas aos miúdos que andam dentro dos carros de bebé, e brindá-los com o jogo do gato e do rato pelos corredores do supermercado;
- abrir a persiana de manha e ver o regresso do sol depois de uma noite de temporal de Inverno;
- ouvir 10 vezes seguidas o mesmo CD no carro e no fim ainda nem saber o refrão, só me faz lembrar a minha fraca memória e que
tenho pavor de me ouvir cantar;
- escutar uma estória da minha avó ao jantar e olhá-la como se a estivesse a viver ali, mesmo sendo em tom de voz cansada.


8 Comments:

At 28 de julho de 2007 às 02:41, Blogger _E se eu fosse puta...Tu lias?_ said...

Meu amigo...não podia ser melhor eleição.
Revejo-me em pontos focados desse teu mundo tão verdadeiro e por isso único.
Surpreende-me cada palavra que desenhas ou cantas na perfeição de uma arco-íris.
Estou feliz pelas pedras se erguerem assim.
Continua muito. Porque a mim já me deste maravilhas eternas. *******************************

 
At 30 de julho de 2007 às 14:57, Blogger abade elias said...

Obrigado pelas pedrinhas que cá vais deixando amiga, também és cor no arco-íris que vou desenhando.
*****

 
At 2 de agosto de 2007 às 16:49, Anonymous Anónimo said...

Sim, de facto o Paris Texas é um filme complicado... de se ver. Também tenho tentado visionar do inicio ao fim, já lá vai há 5 anos... Mas, confesso Sr. abade, nunca consegui. É optimo para noites de insónias ou para quando a "8ª maravilha" não é assim tão maravilhosa... Portanto, a culpa não é do sofá. Agora, que foi isso do sabão rosa?

 
At 2 de agosto de 2007 às 17:35, Blogger abade elias said...

Anónimo (a), obrigado pela visita à paróquia, a casa também é sua.
Se me diz que a culpa não é do sofá, sugiro a venda do filme só com prescrição médica, óptimo sonífero. Em alternativa tem a musica com nome do filme, by Ry Cooder, um comprimido por dia embala a partir da 1 da madrugada.
Desculpe-me mas a minha "8ª maravilha" é maravilhosa, e ao contrário do que possa pensar, tira-me o sono. De certo é por ainda não se ter apercebido, abade que se preze não se confessa!
Sabão rosa??? Mal a qual se refere? Cá por casa só uso sabão azul, cor dos meus sonhos!

Volte sempre!

 
At 31 de agosto de 2007 às 03:56, Blogger _E se eu fosse puta...Tu lias?_ said...

Eu volto e volto e nada de novo aki na paráquia... ai ai seu Padre!! Confesse-se mais vezes!!!!*******

 
At 4 de setembro de 2007 às 18:18, Blogger _E se eu fosse puta...Tu lias?_ said...

Lá volto eu...para fazer andar a paróquia...

Tens desafio no meu blog, sr.abade!!!!
********

 
At 11 de outubro de 2007 às 15:02, Blogger Crónica said...

Onde anda o sr???

Saudades da Crónica

 
At 5 de novembro de 2007 às 22:28, Blogger vsuzano said...

Gostei das rezas....

Continua...

 

Enviar um comentário

<< Home